terça-feira, 27 de setembro de 2022

ALL-BLACKS DE RETORNO

A Nova Zelândia, embora com um início periclitante, conquistou isolada a Rugby Championship 2022. 

 
Depois das derrotas iniciais — em seguimento da derrota em casa contra a Irlanda — a Nova Zelândia, treinadores de subunidades substituídos — voltou ao seu lugar habitual de equipa vitoriosa. Demonstrando desde logo, duas situações: a) que a Formação-Ordenada é, embora necessitando de um equilíbrio de pesos, uma questão iminentemente técnica  — alteradas as posições de corpos, a união entre linhas e o posicionamento dos pés no contacto com o solo, a Nova Zelândia voltou a impôr a sua formação aos mesmos adversários que se lhe tinham imposto; b) o velho conceito de que a Formação-Ordenada está na base de cada confronto directo - mauls ou rucks - ficou também demonstrado. A melhoria dos AllBlacks nestes domínios em relação aos jogos iniciais foi evidente. E as vitórias foram a sua consequência.


A vitória final dos AllBlacks assentou, para os 6 jogos realizados, em 24 ensaios que tiveram como fonte 2 conquista de turnovers, 4 de formações-ordenadas, 2 de alinhamentos, 5 de alinhamento/mauls e 11 de fases múltiplas. O que demonstra que, melhorada a capacidade de conquista, os AllBlacks voltaram a mostrar a sua capacidade de apoio e movimento, voltando ao seu princípio correr-receber-passar, conseguindo um somatório de acções bastante superior ao dos seus adversários, ao fazer 675 transportes com a conquista de 4.574 metros, realizando 51 passes em carga (offloads) e 31 rupturas da defesa para evitar 133 defensores. 
Os jogos europeus de Novembro vão demonstrar-nos a possível consistência deste caminho…


quarta-feira, 21 de setembro de 2022

FINAL DO RUGBY CHAMPIONSHIP

 

Resultados da 5ª Jornada

CLASSIFICAÇÃO GERAL após 5ª Jornada



Parece não haver dúvidas sobre as previsões desta 6ª Jornada: vencerão as equipas que jogam em casa e por boa margem. Pelo menos é o que prevêem o XVcontraXV, o Ultimate Rugby e o Rugby Vision.
E em dúvida apenas a hipótese do vencedor: Nova Zelândia ou África do Sul? Ganhando as duas equipas, será vencedor a equipa que obtenha a vitória com ponto de bónus. Se as duas equipas apenas ganharem a actual situação manter-se-à, se alguma das equipas perder, a vitória final pertencerá à outra…
…o melhor é ver os jogos.



segunda-feira, 19 de setembro de 2022

UM GRANDE CAMINHO COMUM


Grupo Desportivo de Direito

Grupo Dramático e Sportivo de Cascais

Com os AllBlacks Sevens no Mundial de HongKong 97

Selecção de XV de Portugal

Conheci o Raul como adversário — ele no GD Direito e eu no CDUP e depois CDUL — mas verdadeiramente a nossa amizade começou quando fui treinar o Direito e ele fazia parte da equipa senior que eu treinava. Fomo-nos conhecendo e criando laços de excelente amizade que perdurou por estes anos todos — para além de já conhecer o Pai, o jornalista Patrício Álvares de quem procurávamos sempre a opinião nas páginas dos jornais, privei com a família, a Isabel e os 6 filhos. E com o que mais foi acontecendo. Fomo-nos conhecendo bem e, para além da amizade, ganhámos uma grande confiança um no outro. Quando saí do GDDireito e fui treinar o GDS Cascais nada mais natural — tínhamos o mesmo modelo de jogo na cabeça, o designado “rugby de movimento” de que o Pierre Villepreux era o grande mentor — do que o convidar para vir comigo numa opção certa como demonstram os 4 campeonatos nacionais de XV, os 3 de Sevens, as Taças de Portugal e as duas Taças Ibéricas que conseguimos conquistar com uma notável equipa formada por jogadores que sabiam interpretar como ninguém oo conceito de rugby que defendíamos. 
Quando fui, pela segunda vez, treinador da Selecção Nacional Sénior, convidei o Raul para meu Adjunto e formámos uma óptima equipa com o Totas (meu antigo companheiro do CDUL), o Graça Gordo, o Fritz e o Caleia. De jogos em jogos com resultados de boa qualidade, fomos percorrendo diversas partes do mundo sempre com o objectivo de fazer uma equipa cada vez melhor,. Andamos por HongKong para as Series e para o Mundial de Sevens de 97, fomos à final do Europeu de Sevens em 98 e percorremos a Europa em jogos do Campeonato Europeu de XV, ficando a um pequeno passo de acesso ao Mundial de 99. 
Enfim vivemos muita coisa juntos sempre sob o domínio da paixão desportiva. Aprendemos muito e conhecemos muita gente, jogadores e não só, que marcaram as nossas vidas em relações que se transformaram também em amizades. 
Encerrada a actividade desportiva, continuámos a relacionarmo-nos e a manter a bela amizade.
Até que o Raul nos pregou a partida. E se os meses da sua doença começaram com a esperança de melhoria, o passar do tempo esfumava-nos a confiança do retorno. E a tristeza tomava conta do dia-a-dia das nossas relações. Com a sua filha Sofia fui seguindo a (des)evolução a par e passo. E a tristeza maior chegou há dois dias: faleceu o Raul!…
E pouco me restou de palavras para exprimir a minha profunda mágoa. Mesmo se me havia já habituado à proximidade do final…
Fica-me a memória do nosso caminho conjunto  e terei sempre na lembrança a nossa grande amizade e a sua importante participação no legado que deixámos ao Rugby Português.
Que descanses em paz, meu Amigo! Até sempre!
…não há esquecimento possível…
 


quinta-feira, 15 de setembro de 2022

MUNDIAIS DE SEVENS 2022


A Austrália em femininos e Fiji em masculinos sagraram-se Campeões Mundiais na Variante de Sevens ao vencerem, ambos, a Nova Zelândia respectivamente por 24-22 e 29-12. A Medalha de Bronze para o terceiro lugar no pódio foi, em femininos, para a França e, em masculinos, para a Irlanda que fez, no estádio da Cidade do Cabo da África do Sul, nova demonstração da importância que, depois da sua inclusão nos Jogos Olímpicos, passou a dar à variante que, até então, não fazia parte dos seus planos competitivos. 

Exemplo da mesma demonstração de objectivo olímpico é a Polónia, que conseguiu, no feminino, o 10º lugar. 


Conseguindo uma surpreendente qualificação para o Mundial, a equipa de Portugal Sevens não resistiu à dificuldade do campeonato que se disputou em sequentes eliminatórias, fazendo de cada jogo uma final.
Defrontando no 1º jogo a Irlanda, as nossas diferenças, com o resultado de 24-0, ficaram desde logo estabelecidas.

 Com os resultados conseguidos, o Sevens de Portugal demonstrou de novo aquilo que só os distraídos não sabiam: não é possível ser competitivo a este nível sem preparação adequada nomeadamente com hábitos técnicos e tácticos intensos e que só a participação em competições internacionais de bom nível o permitem. Portanto e se existe algum objectivo de participação nos Jogos Olímicos Paris 2024, só há um caminho a seguir: organização e participação junto dos melhores. Sem hesitações!

PREVISÕES RUGBY CHAMPIONSHIP


 Quer o XVcontraXV, quer o Rugby Vision perspectivam vitórias das equipas visitantes na 5ª jornada do Rugby Championship 2022.


Sem praticamente diferença de pontos classificativos, os resultados de cada um dos dois jogos que ainda faltam  mostram-se decisivos  na construção da classificação final.

O que, para além da necessária demonstração das equipas de que se encontram no bom caminho de recuperação, fará de cada jogo uma espécie de final. E nós, espectadores, agradecemos.


sexta-feira, 9 de setembro de 2022

PORTUGAL SEVENS NO MUNDIAL 2022

MUNDIAL 2022
PORTUGAL SEVENS
Composição do Portugal Sevens e números dos jogadores


 Começa hoje na Cidade do Cabo, na África do Sul, o Mundial de Sevens 2022. Portugal que apresenta uma equipa onde Duarte Moreira e Nuno Sousa Guedes representam a experiência da equipa de Frederico de Sousa, defronta a Irlanda num primeiro jogo que poderemos ver às 07h45 desta sexta-feira.
Ao doze do Portugal Sevens, afastado das grandes competições depois de um imperdoável erro de percepção do sistema competitivo rugbístico internacional cometido há anos atrás, não se devem fazer exigências muito elevadas mas apenas transmitir-lhes a confiança que lhes permita expressarem-se competitivamente de acordo com as suas capacidades.
Afastados das Sevens Series e portanto sem a tarimba que estes cada vez mais exigentes jogos exigem, aos jogadores portugueses pede-se uma prestação que permita a obtenção de convites para participar numa ou outra das Series e assim criar os hábitos competitivos necessários em termos de modelo de jogo e de intensidadepara um futuro que, lembre-se integra os Jogos Olímpicos de Paris 2024..
Aos comandados de Frederico de Sousa os votos de bons resultados e boas demonstrações da sua capacidade.

 

quinta-feira, 8 de setembro de 2022

O RETORNO DOS ALL-BLACKS?

 

CLASSIFICAÇÃO GERAL - 4ª JORNADA


Como se previa, os melhores colocaram os pontos nos iis, mas as medidas foram para os AllBlacks…

A Nova Zelândia que já na jornada anterior mostrara, na derrota com a Argentina, a qualidade do trabalho do novo treinador dos avançados, Jason Ryan, com a melhoria demonstrada nas acções das  formação-ordenada e nos mauls, mostrou-se muito mais disciplinada e  — principalmente e como razão principal da vitória (na minha opinião) — soube voltar — ao contrário dos jogos anteriores em que se ficou pelo ineficaz receber-correr-passar — ao dinâmico e marca do seu jogo atacante, correr-receber-passar.  E este retorno técnico-táctico de ataque em velocidade aos intervalos, concentrando defensores e permitindo a ultrapassagem da linha-de-vantagem, fez a total diferença de 7 ensaios marcados contra os 2 conseguidos no jogo anterior. Para além disto, o jogo-ao-pé foi bastante mais preciso e incisivo do que a apática entrega de bola anterior. Os então dados como mortos, retornaram com a sua capacidade de continuidade de jogo com base num apoio constante que tem por base o sincronismo dos seus jogadores alinhados pela mesma pauta do plano de jogo. Com esta base cultural de todos perceberem qual vai ser a proposta do portador da bola, sucedem-se as linhas de corrida divergentes ou convergentes eficazmente adequadas ao posicionamento da defesa adversária. E ainda bem que foi assim porque o jogo argentino só por raras vezes é interessante…

… o mesmo se pode dizer do jogo entre a Austrália e a África do Sul. Foi, raríssimas vezes, interessante e não compensou a visão do jogo. 



Arquivo do blogue

Quem sou

Seguidores